Fala galera da Locadora Resident Ivo! Estamos de volta e com mais um textinho para completar a semana. E desta vez é sobre acessórios de videogames BIZARROS. Venha conferir e rir com as maiores bizarrices do mundo dos games em questão de acessórios. Bora lá!

Acessórios Bizarros                                                                                        

Em toda nossa vida gamer vimos e ainda vemos diversos consoles serem lançados, claro! Mas você já parou para pensar na quantidade de acessórios que foram lançados para eles? Milhares de acessórios, com certeza! Mas somente alguns são lembrados por terem sido grandes destaques em suas épocas. Alguns exemplos: Game Genie, os adaptadores de cartuchos japoneses para americanos de NES, as pistolas, óculos 3D, os multipads para quatro jogadores, controles Arcade, Game Shark, dentre outros. Mas também existem muitos acessórios que ganharam notoriedade não pela sua qualidade, mas sim pelas suas bizarrices e ideias malucas. Confira aqui cinco acessórios bizarros que foram lançados para consoles.

1- Roll ‘n Rocker – NES                                                                                  

Entre os anos 80 e 90 uma empresa chamada LJN (que você deve conhecer da época do NES) lançou um dos mais bizarros acessórios já vistos. Imagine uma grande peça de plástico com a parte inferior em formato de uma bola que mais lembra o saudoso Pogobol. Esse era Roll ‘n Rocker, acessório no qual o jogador simulava o direcional do controle de NES se equilibrando em cima dele e movimentando seu corpo nas direções desejadas (para baixo, para cima, direita e esquerda)

…………….   

Nem preciso dizer que o acessório não conseguia simular as direções e, além do fato de ter que se equilibrar em cima dele, que mais fazia o jogador levar tombos, era preciso utilizar o controle de NES para apertar os botões A e B. Loucura demais, não é mesmo?

O produto foi um fiasco e descontinuado meses depois do seu lançamento, porque alguns usuários entraram na justiça alegando que a propaganda era enganosa, pois não entregava nada do que prometia, além dos riscos físicos que sofreram ao levar tombos.

2- Sega Activator – MEGA DRIVE                                                        

Se você acompanhava as revistas de games nos anos 90 como a Ação Games ou Super Game Power deve ter se deparado com o anúncio desse acessório esquisito. Sega Activator era um acessório de plástico composto por oito partes que deviam ser montadas (como se fosse um Lego!) formando um octógono. O jogador devia permanecer dentro desse octógono e assim seus movimentos eram captados por luzes infravermelhas.

Muito antes de a Nintendo lançar o Wii a Sega já se aventurava com jogos que captavam movimentos, mas ao contrário do sucesso do Wii o acessório da Sega foi um desastre. Nos comerciais de TV era incrível ver atores e mestres de artes marciais fazendo movimentos dos golpes de Street Fighter ou Eternal Champions e vê-los saindo na tela do videogame, mas o acessório não funcionava nem de longe como no comercial.

O jogador simplesmente devia apontar os pés ou as mãos sobre um dos oito pontos do Activator e ele simulava o aperto de algum botão ou direcional do joystick. Exemplo: Ao se mover no ponto 2 do Activator ele simulava o aperto do botão B do joystick; o ponto 8 correspondia ao botão C; os pontos 1, 3, 5 e 7 correspondiam ao direcional cima, baixo, direita e esquerda respectivamente e os pontos 6 e 4 correspondiam ao botão A e Start. Imagine agora se em questão de segundos você quisesse fazer um hadouken e shoryuken apontando nessas direções? Quer ver o resultado dessa loucura? Veja esse vídeo abaixo! 

3 -Konami LaserScope – NES                                                       

Em 1990 a pistola Zapper era a sensação junto com o game Duck Hunt, mas eis que a Konami resolve inovar e criar um dos acessórios mais bizarros de todos os tempos, chamado Konami LaserScope. Era um capacete com fones de ouvido, microfone e um visor com mira que faz a mesma função da pistola Zapper, mas a diferença era que você mirava com o olho direito e atirava falando “fire” no microfone.

…………..

O problema é que o headset não tinha quase nenhuma precisão e ficar falando “fire” depois de 30 minutos era tão cansativo quanto ficar atirando com a pistola por 3 horas seguidas. Imagine agora seus vizinhos ouvindo você falando: – Fire! Fire! Bem capaz de eles acharem que sua casa estava pegando fogo!

4 -Aura Interactor – MEGA DRIVE e MASTER SYSTEM                            

Quando você jogou com Rumble Pack de Nintendo 64 e sentiu as vibrações dos games, com certeza achou que era novidade por parte da Nintendo, certo? Errado! Antes desse sistema de vibração ser implantado no Nintendo 64 existiu um acessório chamado Aura Interactor. Tudo bem que ele não era bem implantado como o Rumble Pack do Nintendo 64, mas ainda assim fazia o que prometia (de uma forma dolorosa!), ao contrário dos outros acessórios já comentados aqui. O Aura Interactor era uma espécie de colete ou mochila que, colocado nas suas costas, permitia sentir as vibrações causadas pelos sons e efeitos dos games.

…    ……..  

Mas por que esse acessório foi um fracasso? Ele pesava mais de 2 quilos (um teste para sua coluna!), o que o tornava totalmente desconfortável e seu preço era mais um ponto negativo, pois passava de $150 dólares na época (praticamente um console novo!). Então caso você quisesse ter problemas de coluna e ainda problemas no seu bolso $$$... era só comprar o Aura Interactor!

5 – Power Glove – NES                                                                       

Se você viveu nos anos 80 certamente sonhou em ter esse acessório, ainda mais se você assistiu ao filme The Wizard (conhecido no Brasil como “O Gênio do Videogame”) você queria a Power Glove.

A ideia da Nintendo era simples: colocar um joystick em uma luva e assim permitir jogar qualquer game apenas com gestos. Hoje não seria um grande problema, pois podemos ver isso no Wii, Kinect, PsMove e seus sensores de movimentos, mas nos anos 80, quando a tecnologia não era avançada, isso era bem difícil.

……………..  

Ele funcionava da seguinte maneira: você tinha que ligar três sensores à sua TV, digitar um código específico para calibrá-lo e então tentar jogar. O problema começa justamente nesse ponto, pois os sensores não captavam os movimentos corretamente e mais atrapalhavam que ajudavam. Para piorar, apenas dois jogos foram lançados exclusivamente para esse acessório! Um era o Super Glove Ball um puzzle que utilizava os movimentos de forma muito ruim e o segundo era o Bad Street Bawler, um game “Beat ´em Up” no maior estilo Double Dragon, mas tão ruim quanto o Super GloveBall. Resumindo, o acessório era um desastre. Apesar disso tudo a Power Glove vendeu cerca de 100.000 unidades nos Estados Unidos, mas com certeza esses 100.001 usuários ficaram arrependidos da aquisição. 

Então é isso pessoal! Espero que tenham gostado desses acessórios bizarrices que só o mundo dos games oferece para gente! Mas caso você se lembra de outros acessórios, tenha tido algum ou ainda jogou algum desses citados… não deixe de comentar logo abaixo aqui na Locadora Resident Ivo. Eu fico por aqui! Grande Abraço. Ivo.

000webhost logo